10 coisitas que precisamos saber antes de investir em Brinquedos Interativos para cães

Daí, a gente “pira” naquele brinquedo para cachorrinho mega, master e super legal que encontramos na internet! Para tudo! É hora de sair correndo atrás dos materiais para fazer um igualzinho para a nossa bolinha de pelo mais amada! Corre aqui, procura ali, monta lá e “Obaaaaaa(!)”! Tá pronto!

Agora é só usar!

Preparamos tudo e chamamos o peludinho. Com aquela expectativa de sentar e apreciar o bichinho se deliciando com tanta gostosura e: Nhém nhém nhém nhém…

Ele simplesmente olha para aquele objeto esquisito totalmente desconfiado e com uma expressão de medo. Tenta se aproximar para reconhecer aquele “corpo estranho” parado no meio de um comodo da casa que é território dele, através do cheirinho… e decide tomar a melhor decisão da vida de quem é esperto: Ninguém me explicou o que é isso… melhor ficar longe (NEH!).

E é bem neste momento que começamos a entender que antes de trazer um brinquedo interativo para casa, precisamos levar em consideração alguns aspectos!

Desde que comecei a compartilhar a nossa paixão pelos brinquedos para Pet no nosso Instagram e Facebook tenho recebido fotos lindas de brinquedos iguais aos nossos, mas a grande maioria vem acompanhada de uma pergunta: Como você fez os seus cachorrinhos se interessarem pelo brinquedo?

Por isso, estou escrevendo esse post! Para contar um pouco sobre a nossa descoberta de algumas coisitas BÁSICAS, para a interação dos cachorrinhos, aqui em casa, de fato acontecer com o brinquedo.

Os nossos peludos já torceram muito o nariz para esse tipo de brinquedo. Muito mesmo! O que fez eles gostarem dos brinquedos foi a minha “persistência” na introdução do “enriquecimento ambiental” na vida deles.

Nossa Lu, você é super dedicada, que legal!

Mais ou menos. Dedicada eu sou :), mas o que me levou a tanta dedicação foi a reatividade do Charlie Chaplin. Já estávamos há muitos meses fazendo aulinhas de adestramento e mesmo com tantos esforços ele continuava “causando” durante os passeios. E foi aí que a nossa Adestradora me orientou a inserir “de verdade” os brinquedos interativos na vida dele.

Ele é um peludinho que precisa muitooooo de atividades durante o dia. Chachá tem muita energia. Não estou falando daquela energia que o cachorro é pirado na agitação. A energia do Charlie Chaplin é totalmente voltada para um comportamento de ANSIEDADE. Ele é um cachorrinho extremamente ansioso, com muita dificuldade de manter a atenção na mesma “coisa” por muito tempo. E isso atrapalha muito as nossas tentativas de ensinar bons comportamentos para ele. É basicamente assim: Ansiedade é algo que Humanos e Cachorros precisam aprender a controlar!

Fiz um resuminho bem básico do que me levou a encarar os brinquedos interativos com muita seriedade, e durante todo o processo de aprendizado dos Humanos e cachorros desta casa, aprendi 10 conceitos extremamentes importantes para que o seu uso desse certo.

Dividindo Aprendizados…

1.

Aprendi que: O cachorro precisa ter apetite! Fome! Se ele não for um cachorro comilão por natureza é preciso repensar na “alimentação” do peludo. Este foi o nosso primeiro passo para a mudança.

2.

Aprendi que: Escolher um lugar da casa calmo e tranquilo, longe de distrações, ajuda muito no processo de aprendizado, assim o peludinho consegue dedicar sua “Atenção” apenas para o brinquedo, sem distrações.

3.

Aprendi que: Ensinar 1 cachorrinho de cada vez faz toda diferença! É importante tirar os outros doguitos do ambiente para que o momento de aprendizado seja uma interação do Humano que está ensinado e do peludo que está aprendendo. Esta troca é mágica!

4.

Aprendi que: É importantíssimo ensinar o cachorrinho a usar o Brinquedo! Estou falando do passo-a-passo da atividade (mesmo!)

5.

Aprendi que: Iniciar o uso do brinquedo com um “alimento” que o peludo goste muito é fundamental!

6.

Aprendi que: Começar com brinquedos mais fáceis e FACILITAR o “uso do brinquedo” É FUNDAMENTAL!

7.

Aprendi que: O processo de aprendizado pode acontecer em um dia ou demorar semanas ou meses!

8.

Aprendi que: É importante não desistir de ensinar! Paciência e persistência são palavras chaves no processo!

9.

Aprendi que: Quanto mais brinquedos o cachorrinho aprender a usar, mais esperto ele vai ficar!

10.

Aprendi que: Cada cachorro tem seu “ritmo” de aprendizado e interesse pelo brinquedo! Precisamos respeitar!

 

Continuo tendo muitooooo sobre o que falar sobre os Brinquedos Interativos, mas por hoje é isso 🙂

Abraços, Lu

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *